Menu fechado

Exame de ultrassom: uma técnica eficiente, segura e com grandes resultados

Por Dr. Bruno Vitor Muniz

Uma técnica não invasiva, não ionizante, segura, dinâmica, geradora de imagem através de ondas sonoras, e que contribui com informações muito relevantes para o diagnóstico de patologias

Há menos de três décadas sendo utilizado na medicina veterinária de pequenos animais, o ultrassom, cada dia mais, vem ganhando espaço na rotina de clínicas e hospitais veterinários. É uma técnica não invasiva, não ionizante, segura, dinâmica, geradora de imagem através de ondas sonoras, e que contribui com informações muito relevantes para o diagnóstico de patologias.

{PAYWALL_INICIO}

O exame de ultrassom não apresenta efeitos biológicos nocivos, sendo seguro tanto para o animal quanto ao operador. O exame pode ser realizado em ambiente simples dentro de sala clínica, sem a necessidade de segurança específica para o ambiente. Além disso, como não é invasiva, a ultrassonografia é tolerada sem dificuldades pelos animais.

Um dos grandes desafios da medicina veterinária é fechar diagnóstico e estabelecer tratamento adequado com menor tempo possível, para alcançar esse objetivo, exames de rotina são fundamentais para tal êxito. Com aumento de profissionais qualificados, quantidade e qualidade de aparelhos de ultrassom, o exame ultrassonográfico tem se tornado parte do quadro de exames de rotina dentro da indicação dos clínicos. Em função do custo relativamente baixo de cada exame, tem uma grande aceitação entre os tutores.

A população de pequenos animais no Brasil, são de aproximadamente 54 milhões de cães e 23 milhões de gatos, de acordo com o IBGE-2018. Diante dessa grande população a quantidade de profissionais qualificados ainda é muito pequena comparada à grande população de pets. Ainda existem muitas cidades que não são alcançadas pelo serviço veterinário especializado em ultrassom.

Diferentemente do serviço de telemedicina, muito utilizado em exames de raio-x, o exame de ultrassom precisa obrigatoriamente ser realizado pelo profissional que realizará o laudo. Isso ocorre por se tratar de um exame dinâmico, que exige um conjunto de fatores fundamentais para um diagnóstico preciso, como posicionamento do paciente, posicionamento do equipamento, regulagem do equipamento, profundidade e sensibilidade da probe  (parte do aparelho geradora de ondas sonoras, que fica em contato com paciente), técnica de varredura, ente outros.

É possível, por exemplo, através do exame de ultrassom veterinário, avaliar alterações gastrointestinais, de trato urinário, reprodutiva, alterações esplênicas, hepáticas, endócrinas, neoplásicas, alterações articulares, de toda cavidade abdominal, tórax, coração, e em alguns casos, até mesmo o cérebro.

Muitas vezes alterações simples identificadas pelos tutores, como o tutor perceber que seu gatinho  está urinando pouco, leva ao veterinário, que no exame clínico não diagnostica um alto volume de urina ou percebe dor em palpação de  bexiga, e  identifica que paciente urinou no momento da avaliação clínica. De maneira clínica o veterinário poderia concluir que paciente não está ingerindo água em quantidade adequada e sugerir ao tutor que adquira uma fonte de água, prescrever alimentação úmida e acompanhar o quadro clinicamente. Porém é comum casos como esse, onde o clínico vai um pouco mais a fundo na investigação diagnóstica e além das recomendações clínicas, solicita um exame de ultrassom abdominal e através do exame de imagem, se identifica uma obstrução ureteral por cálculo, ou uma hidro nefrose, entre outras alterações presentes nos rins que não são identificáveis simplesmente em uma avaliação clínica. Ou seja, um exame rápido, não invasivo, de custo relativamente baixo, possibilita fechar um diagnóstico preciso e rápido, possibilitado uma intervenção cirúrgica ou medicamentosa no menor tempo possível, proporcionando o melhor tratamento e prognóstico para o paciente.

A realidade da medicina veterinária no Brasil tem mudado muito, principalmente nos últimos 15 anos. O acesso a tecnologias antes presentes somente na medicina humana hoje já é uma realidade na rotina veterinária. O mundo pet despertou o olhar da indústria médica para o grande potencial de crescimento e oportunidade de mercado. Com isso, hoje contamos com aparelhos e equipamentos com a mesma qualidade e performance de aparelhos antes exclusivos da medicina humana, que já são projetados e elaborados para a medicina veterinária.

Algo novo na medicina veterinária – mas já uma realidade bem presenta na medicina humana – são os chamados exames de ultrassom Fast, em especifico o T-Fast (Avaliação rápida do Torácica através do ultrassom).

A avaliação pulmonar através do ultrassom é um tema de crescente interesse na avaliação de pacientes críticos, muitas vezes aplicado por profissionais não especializados por se tratar de uma avaliação simples. Desse modo, com um mínimo de treinamento é possível realizar um exame Fast. Como essa técnica baseia-se no fato de que todas as agressões agudas reduzem a aeração pulmonar, o ultrassom pulmonar pode fornecer informações complementares ao exame físico e à impressão clínica, com a principal vantagem de ser realizado à beira do leito.

Dados da literatura mostram que o ultrassom pulmonar é útil na interpretação de infiltrados pulmonares, tendo boa acurácia na identificação de consolidações e de síndrome intersticial. Além disso, ultrassom pulmonar tem sido amplamente utilizado na avaliação e abordagem de derrames pleurais, assim como na identificação de pneumotórax. Essa técnica pode também ser útil na avaliação imediata de pacientes com dispneia ou insuficiência respiratória aguda. Outras aplicações descritas são a monitorização da resposta ao tratamento e o aumento da segurança na realização de procedimentos invasivos. Embora ainda haja a necessidade de treinamento mínimo, esse é um método rápido, barato e amplamente disponível, e a incorporação dessa nova tecnologia deve tornar-se progressivamente maior no cuidado de doentes críticos. Ela se baseia na avaliação de padrão pulmonar e em linhas presentes na imagem pulmonar da figura 1.

Um exame rápido e uma avaliação simples que pode ser realizado dentro do consultório ou a beira leito, traz informações extremamente importantes para tomadas de decisões, diagnóstico e prognóstico dos pacientes.

Figura 1: A Imagem demonstra o padrão de linhas que se apresenta em possíveis alterações pulmonares, (Perfil A ou linha A), representado por linhas horizontais deslizantes e (Perfil B ou Linha B), representado por linhas verticais
A Imagem demonstra o padrão de linhas que se apresenta em possíveis alterações pulmonares, (Perfil A ou linha A), representado por linhas horizontais deslizantes e (Perfil B ou Linha B), representado por linhas verticais

Dr. Bruno Vitor Muniz

CRMV-SP 44963 Atua no atendimento Clínico, internação, U.T.I e na realização de exames. Formação Técnica também em Radiologia Médica. Cursando Especialização em Cirurgia de tecidos moles em Pequenos Animais na Unesp-Jaboticabal-SP. Possui especialização em Ultrassonografia pela NAUS-SP. Responsável pela implantação da Rotina de realização de exames de Hemogasometria no Hospital Estimma.

{PAYWALL_FIM}