Menu fechado

Por Caroline Coelho Rocha, Thays Ribeiro Pacó e João Marcelo Azevedo de Paula Antunes

Migração do verme adulto (dirofilaria immitis) para a veia cava caudal em um cão

RESUMO

Nos canídeos, a dirofilariose é uma zoonose onde o parasita pode ser encontrado principalmente no ventrículo direito (VD) e nas artérias pulmonares (AP), podendo causar distúrbios cardiopulmonares. Em casos de distribuição incomum dos vermes adultos existe a migração para a veia cava caudal (VCC), juntamente com o desenvolvimento de outros sinais clínicos, caracterizando a síndrome da veia cava (SVC). O diagnóstico consiste no histórico do animal, sinais clínicos e alterações circulatórias e orgânicas dos pacientes, identificadas através de exames laboratoriais e de imagem, sendo o exame ecocardiográfico, um meio de diagnóstico importante pois permite a visibilização da dirofilárias e sua movimentação em câmaras cardíacas, além da repercussão hemodinâmica das mesmas no coração. O objetivo do presente trabalho foi relatar um caso de migração de formas adultas de Dirofilaria immitis para a veia cava caudal (VCC) em uma cadela com menos de 2 anos de idade que apresentava tosses esporádicas e intolerância ao exercício desde 1 ano de idade, que foi submetida ao exame ecocardiográfico, onde foram visibilizadas alterações cardíacas e presença de formas adultas de dirofilárias em átrio direito AD e em AP. Em seguida, realizou-se ultrassonografia de veia cava, a nível abdominal, onde foram identificadas formas adultas no lúmen da mesma. Desta forma, pelo fato do animal citado não apresentar sinais clínicos graves, os exames de imagem realizados foram essenciais no diagnóstico precoce de migração e na prevenção do agravamento da doença.

Seja bem-vindo(a) leitor(a)!
Ainda não é assinante?

Assine agora e tenha acesso ilimitado a todas as materias de todas as edições da revista Medicina Veterinária em Foco!

Assinar